quarta-feira, 22 de julho de 2009

circular #2

Sou uma pessoa de brandos costumes, sem o fogo nas ventas que às vezes tanta falta me fazia para dizer umas e outras, sem o pinguinho de mau feitio essencial para uma vida sã e livre de úlceras, o que não significa que não me aflija com as alarvidades que se fazem e dizem.
E pelo amor de Deus, estou num estado delicado, portanto poupem-me as graçolas inoportunas, os disparates na estrada, as respostas mal educadas, os telefonemas a meio do merecido serão no sofá, os cestos de roupa para passar, o ter de passear o cão sonâmbula, a chuva e o frio em fim de Julho (!) e, muita atenção ao last but not least, porque este é mesmo o mais importante, poupem-me todos e quaisquer misticismos, mezinhas, ditos, crenças ou agoiros relacionados com potenciais problemas para a minha barriga, a minha semente ou o fruto que dela brotar, principalmente se baseados em coisas que não fazem qualquer sentido.
A sério. Não há pachorra.

2 comentários:

Sereia* disse...

Ena Amiga,

tenho mesmo de te ir visitar a ver se te animo!
Quando te contar que estive 15 dias em Itália e não vi um chavelho... vais rir, de certeza!!!

Além disso, nesta fase, eu até consigo imaginar a quantidade de dicas que já te deram para assegurar tudo e mais alguma coisa.
Não adianta! Tens de explicar às pessoas que essa fava (já deve estar maior do que a ervilha... num sei... digo eu...) é descendente de uma Peste! Não há muito a fazer nestes casos. É genético ;)

ahahahahhahahhahaha

Beijos e estou mesmo a morrer de saudades pá! Mas tenho andado à procura de trabalho...

(ler com sotaque brasileiro o seguinte:) correndo atrais

buuuáááááá´
Beijos e mais beijos e pronto!

Miss Kin disse...

Olha que eu denoto aí uma pinguinha de mau feitio... Se calhar esse que aí está devia responder logo áquilo que te possa fazer úlceras ;)

(ah e congrats!)